A solidão e o isolamento social

4 minutos de leitura

O que é o isolamento social?

O isolamento social é a falta de contacto social, principalmente:

  • ausência de contacto social ou familiar
  • ausência de envolvimento na comunidade ou com o mundo exterior
  • ausência ou dificuldade no acesso a serviços

Quem pode sofrer de isolamento social?

Qualquer pessoa, homens e mulheres, em todas as fases do ciclo da vida, casados e solteiros, pessoas empregadas e desempregadas, ou mesmo pessoas que residem em meios rurais e urbanos podem sofrer de isolamento social.

Existem fatores de risco para o isolamento social?

Sim. Existem condições psicológicas e sociais a que as pessoas estão expostas que podem aumentar o risco de isolamento social, por exemplo:

  • doença mental grave
  • doença crónica
  • mobilidade reduzida
  • incapacidade (por exemplo, surdez)
  • dependência de substâncias psicoativas
  • ser um cuidador informal permanente
  • características específicas no local de trabalho

O que é a solidão?

A solidão é um sentimento subjetivo e relaciona-se com ausência de contacto, de sentimento de pertença ou com a sensação de se estar isolado. Por outro lado, o sentimento de solidão pode interferir com a qualidade de vida das pessoas.

Em que dimensões uma pessoa pode sentir solidão?

A pessoa sente que não pode contar com ninguém, ou que a rede de pessoas de que dispõe não é suficiente às suas necessidades. A pessoa em solidão pode ainda sentir, em alguns casos, que não tem acesso a um conjunto de serviços ou recursos sociais.

Quem pode ser afetado pela solidão?

Todas as pessoas, em algum momento das suas vidas, podem sentir-se profundamente sós e/ou incompreendidas. As pessoas em situação de solidão são aquelas que sentem que as relações com os seus amigos ou colegas estão aquém do que desejariam (solidão social), ou aquelas que não têm um relacionamento de intimidade ou um vínculo emocional próximo, como um melhor amigo (solidão emocional).

Isolamento social e solidão é a mesma coisa?

Não, mas o isolamento social pode desencadear o sentimento de solidão.

Existem dados sobre a solidão em Portugal?

Sim. Um estudo com mais de 1200 pessoas entre os 50 e os 101 anos concluiu que:

  • 20,4% são mulheres e 7,3% são homens
  • as pessoas com menor escolaridade apresentam mais solidão (25,8%)
  • o sentimento de solidão aumenta com a idade: 9,9% dos 50-64 anos; 26,8% com 85 anos ou mais
  • é mais frequente nas pessoas viúvas (30,6%) e nas pessoas solteiras (15,8%) do que em pessoas casadas (9,2%)

Estar rodeado de gente resolve os sentimentos de solidão?

Não. Exemplo disso são as pessoas que residem em lares, rodeadas de muita gente, mas que podem sentir solidão.

Viver sozinho é sempre sinónimo de sentir solidão?

Não. Tal como já foi dito, a solidão também é sentida por pessoas que vivem com outras pessoas.

Só as pessoas mais velhas é que se sentem sozinhas?

Não. o sentimento de solidão pode surgir seja qual for a idade e/ou condição da pessoa.

Existem fatores de risco comuns para o isolamento social e solidão?

Sim. São vários os fatores de risco para o isolamento social e/ou solidão:

  • pobreza ou pressões financeiras: podem impossibilitar a realização de atividades de convívio ou lazer
  • institucionalização: a entrada de pessoas para instituições como centros de reabilitação, centros de dia ou lares de idosos pode dificultar a sua integração social
  • diminuição do estado de saúde: a fraca mobilidade e acessibilidade facilitam o isolamento social
  • arquitetura residencial: a organização das habitações pode levar ao isolamento físico das pessoas
  • a ausência do cônjuge, amigos ou colegas : as pessoas que não têm filhos, se reformam, ficam viúvas, perdem outros familiares ou amigos próximos, ou que são abandonadas pelos familiares, sobretudo, se forem idosos, têm um risco acrescido de isolamento.
  • episódios súbitos negativos: por exemplo, o falecimento do cônjuge, mudança de casa ou desemprego ou trabalho a partir de casa podem desencadear o isolamento e solidão
  • violência: pessoas que sofrem de maus tratos têm maior risco de ficarem isoladas
  • doença mental: a depressão, por exemplo, representa um fator de risco de isolamento e de solidão
  • cuidadores informais: estão mais expostos a situações de isolamento, fraca saúde física e mental e distanciamento do mercado de trabalho

Existem alguns fatores protetores da solidão e isolamento social?

Sim. A existência de harmonia familiar e ausência de conflitos, bem como uma boa autoestima, autonomia e orientação social positiva são fatores que ajudam a evitar seja a solidão seja o isolamento. Também a disponibilidade para aceitar apoio de sistemas externos ao seu meio podem reforçar a capacidade do indivíduo em lidar melhor com as circunstâncias da vida.

Enquanto sociedade, como podemos ajudar a combater o isolamento social e a solidão?

Todos temos o dever de criar espaços e oportunidades para as pessoas participarem em atividades sociais, culturais, recreativas, desportivas e espirituais.

As ajudas podem manifestar-se a diferentes níveis:

  • em casa ou no trabalho, convide um amigo, vizinho ou colega para beber um café e conversar
  • no trabalho, procure manter relações sociais autênticas com os colegas, mostrando interesse pela sua vida pessoal
  • partilhe informação sobre iniciativas na sua comunidade
  • quando não houver proximidade, envie uma mensagem de olá ou bata à porta de sua casa
  • incentive o convívio entre pessoas que moram sozinhas
  • fomente novas tecnologias de comunicação que proporcionem a comunicação e convívio à distância, por exemplo através das redes sociais

Consulte o ebook (Não) estamos sós

 

Fonte: Biblioteca de Literacia em Saúde

Ver temas relacionados

Feedback Sim

Feedback Não