Doação de sangue

3 minutos de leitura

Como me poderei candidatar à dádiva de sangue? Onde me poderei dirigir?

Poderá consultar os locais de colheita de sangue ou as sessões de colheita. Nos locais de colheita deverá apresentar um documento de identificação com fotografia (Bilhete de Identidade/Cartão de Cidadão, passaporte, cartão de residente ou carta de condução) e preencher um questionário. Posteriormente, será avaliado por um profissional de saúde qualificado que determinará a sua elegibilidade para a dádiva de sangue, através de uma avaliação clínica e exame físico (como determinação do seu peso, altura, hemoglobina e tensão arterial).

Consulte mais informações no guia: Posso dar sangue?

Quantos litros de sangue são colhidos?

São colhidos cerca de 450ml, o que corresponde a +/- 10% de sangue (entre 410 a 490ml).

Após a dádiva sentir-me-ei enfraquecido? Quando poderei voltar ao trabalho?

Depende de pessoa para pessoa. Contudo, aqui ficam algumas dicas para evitar que se sinta enfraquecido:

  • Deve tomar o pequeno-almoço/lanche e reforçar a ingestão de líquidos antes da dádiva de sangue;
  • Não deve fazer uma refeição abundante antes da dádiva de sangue;
  • No final da dádiva de sangue poderá reforçar novamente a ingestão de líquidos e fazer uma refeição ligeira.

Poderá regressar ao seu trabalho decorrido o tempo necessário à realização da dádiva de sangue. Em cada dádiva o médico pode determinar o alargamento do período até à retoma da atividade normal, quando a situação clínica assim o exija, desde que devidamente justificado.

Como conseguirei ultrapassar o meu receio de dar sangue?

Um grande número de pessoas sente receio quando vai efetuar a sua dádiva pela primeira vez, pela possibilidade de uma ocorrência adversa. Vários fatores minimizam esta probabilidade:

  • Ingestão de líquidos (meio litro de água) antes da dádiva;
  • Aplicação de tensão muscular (contração e relaxamento de alguns músculos) durante a colheita.

É seguro dar sangue em Portugal?

Sim. Muitas das regras implementadas em Portugal sobre quem pode dar sangue são uma exigência da legislação europeia.

Como me poderei identificar como dador de sangue?

O Cartão Nacional de Dador de Sangue identifica o dador de sangue e contém os registos das dádivas efetuadas constantes na base de dados do cartão nacional de dador.

É considerado um documento apropriado para fazer prova da condição de dador de sangue, nomeadamente, para efeitos de isenção das taxas moderadoras no acesso à prestação de cuidados de saúde do Serviço Nacional de Saúde (SNS), nos termos da legislação em vigor.

O pedido de emissão do cartão é da responsabilidade do serviço que realiza a colheita, sendo o IPST,IP responsável pelo seu processamento, emissão e envio ao dador.

Como é feito o reconhecimento público do dador de sangue?

A criação das medalhas e diploma de dador de sangue inserem-se no reconhecimento público aos dadores de sangue. Têm como intenção galardoar a sua dedicação inerente à dádiva de sangue. Possui os seguintes graus:

  • Diploma das 10 dádivas – Concedido pelo Presidente do Conselho Diretivo do IPST,IP aos dadores que tenham completado 10 dádivas;
  • Medalha cobreada – Concedida pelo Ministro da Saúde aos dadores que tenham completado 20 dádivas;
  • Medalha prateada – Concedida pelo Ministro da Saúde aos dadores que tenham completado 40 dádivas;
  • Medalha dourada – Concedida pelo Ministro da Saúde aos dadores que tenham completado 60 dádivas;
  • Medalha dourada (100 dádivas) – Concedida pelo Ministro da Saúde aos dadores que tenham completado 100 dádivas.

As medalhas são acompanhadas de certificado. Em regra, os galardões são enviados para a entidade que os requisitou, procedendo esta, posteriormente, à sua entrega. A emissão e processamento dos galardões envolvem diversas entidades.

É permitida a venda de sangue?

Não. A venda ou comercialização do sangue está proibida por lei.

Vídeo ilustrativo sobre a importância de dar sangue:

 

Legislação

Estatuto do Dador de Sangue;

Portaria que aprova o estatuto do dador de sangue;

Decreto-Lei Regional que aprova o regime jurídico do dados de sangue no Sistema Regional de Saúde;

Circular Normativa que determina o critério para isenção de taxas moderadoras para os dadores de sangue

Fonte: IPST (adaptado)

Ver temas relacionados

Feedback Sim

Feedback Não