Ir para o conteúdo
Logótipo do Serviço Nacional de Saúde 24
|
Osteoporose

O que é a osteoporose?

A osteoporose é uma doença crónica progressiva caracterizada pela diminuição da densidade mineral óssea responsável pela resistência e solidez da generalidade do esqueleto. A perda de densidade provoca um aumento da fragilidade óssea, alteração da microestrutura óssea e, consequentemente, aumento do risco de fratura.

Qual o impacto desta doença na vida dos doentes?

Esta doença pode ser extremamente incapacitante, principalmente quando há fraturas. Para além disso, está associada a um risco aumentado de mortalidade, devido às complicações que ocorrem devido às fraturas.

Quais são as causas da osteoporose?

A osteoporose ocorre quando a regeneração dos ossos deixa de acompanhar a sua degradação. Os poros do interior dos ossos aumentam, ficam com menos minerais, logo ficam mais frágeis.

Assim, as causas da osteoporose são multifatoriais, ou seja, devem-se a diferentes fatores, dependendo do tipo de osteoporose.

Existem diferentes tipos de osteoporose?

Sim. Existem diferentes tipos de osteoporose – primária ou secundária -, conforme a sua causa:

  • primária: osteoporose cujas fraturas ocorrem em consequência da perda óssea associada ao envelhecimento. É mais frequente nas mulheres pós-menopausa (tipo I) e em mulheres e homens com mais de 70 anos, devido ao envelhecimento (tipo II)
  • secundária: este tipo de osteoporose ocorre devido a outras condições médicas, como doenças crónicas ou uso prolongado de medicação.

Existe ainda a osteoporose cuja causa é desconhecida, a que se designa de osteoporose idiopática (sem origem conhecida).

Quais são os fatores de risco para desenvolver esta doença?

Existem vários fatores que podem aumentar o risco da doença, nomeadamente:

  • menopausa e alterações hormonais que ocorrem nas mulheres
  • avançar da idade, quanto maior a idade maior é o risco
  • história de:
    • osteoporose na família ou história de pais com fratura da anca
    • fraturas anteriores em idade adulta
  • tratamentos com doses elevadas, ou prolongado, com corticoides por mais de 3 meses de duração
  • défice de cálcio e vitamina D
  • baixo Índice de Massa Corporal (IMC)
  • hábitos de vida não saudáveis, como:
    • tabagismo
    • consumo excessivo de álcool
    • sedentarismo

Podem ainda ser fatores de risco para a osteoporose a presença de outras doenças, como:

  • artrite reumatoide
  • doença inflamatória do intestino
  • doença celíaca
  • diabetes
  • anorexia nervosa
  • demência
  • cancro
  • hiperparatiroidismo (doença que altera o metabolismo do cálcio, principalmente na mulher pós-menopausa)

Quais os grupos que têm maior risco de vir a ter a doença?

A maior parte dos casos da doença está associado ao avançar da idade e às mudanças hormonais, que acontecem principalmente nas mulheres após a menopausa, dada a redução dos níveis de estrogénio que provoca a redução da massa óssea.

A osteoporose pode afetar qualquer pessoa, mas estima-se que uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens, após os 50 anos, irá sofrer uma fratura osteoporótica.

Quais são os principais sinais e sintomas da doença?

Numa fase inicial, a osteoporose é uma doença silenciosa e (quase) nunca chega a provocar sinais ou sintomas até, de facto, ocorrer uma fratura óssea.

No entanto, numa fase mais avançada, quando os ossos já estão mais frágeis/porosos, e geralmente após fratura, pode verificar-se:

  • perda de altura
  • postura curvada/aparecimento de corcunda
  • dor nas costas

Quais são as complicações da osteoporose?

O enfraquecimento dos ossos, característico da osteoporose, está associado a consequências graves e incapacitantes como:

  • fraturas osteoporóticas que podem provocar perda de autonomia
  • dificuldade de suporte do corpo na coluna
  • deformidades no corpo que causam dor crónica
  • depressão
  • morte

O que são fraturas osteoporóticas?

As fraturas osteoporóticas são fraturas que ocorrem devido à fragilidade do esqueleto de uma pessoa com osteoporose. Geralmente, são provocadas por pequenas quedas ou movimentos simples e ocorrem exatamente devido à fraca densidade dos ossos.

Quando ocorrem em determinadas zonas do corpo, como a anca ou a coluna, estas fraturas diminuem significativamente a qualidade de vida, pela perda de autonomia do doente e representam um risco aumentado de mortalidade, devido às complicações pós-fratura.

Quais são as fraturas mais comuns por osteoporose?

As fraturas mais comuns por osteoporose são:

  • no pulso
  • na anca/quadril
  • no braço (úmero)
  • nas vértebras da coluna
  • nas costelas

É possível prevenir a osteoporose?

Em parte. Para prevenir a osteoporose e promover uma boa densidade mineral óssea e outras propriedades do osso, como a retenção de minerais nos ossos, é essencial garantir hábitos de vida saudáveis desde infância, nomeadamente:

  • adotar uma alimentação saudável, com uma boa nutrição e garantia de níveis saudáveis de:
    • cálcio, através da ingestão alimentos como leite, iogurtes, queijo
    • vitamina D, através da exposição solar diária, cerca de 15 minutos
  • praticar exercício físico regular
  • evitar o consumo de bebidas alcoólicas e produtos de tabaco

Como é feito o diagnóstico da doença?

O diagnóstico da osteoporose envolve a história clínica completa do utente e a avaliação da presença de fatores de risco e de fraturas recentes.

Para além disso, pode ser necessário realizar os seguintes exames:

  • densitometria óssea para medir a densidade mineral óssea
  • radiografias para identificar pequenas fraturas que não provocam sintomas
  • análises laboratoriais (para verificar níveis de fósforo, cálcio, entre outros)

A osteoporose tem cura?

Não. Neste momento, não existem tratamentos que revertam completamente a osteoporose. Contudo, existem formas de tratamento e de ajudar a evitar a progressão da doença.

Qual o tratamento indicado para esta doença?

O tratamento da osteoporose pode incluir:

  • melhoria dos hábitos alimentares
  • prática de exercício físico regular
  • deixar de fumar (cessação tabágica)
  • suplementos de cálcio e vitamina D
  • medicação para o fortalecimento dos ossos
Guardar:
Esta informação foi útil?
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Assuntos relacionados