COVID-19

5 minutos de leitura

O que é o COVID-19?

COVID-19 é o nome oficial, atribuído pela Organização Mundial da Saúde, à doença provocada por um novo coronavírus, que pode causar infeção respiratória grave como a pneumonia. Este vírus foi identificado pela primeira vez em humanos, no final de 2019, na cidade chinesa de Wuhan, província de Hubei, tendo sido confirmados casos em outros países.

O que são os coronavírus?

Os coronavírus são um grupo de vírus que podem causar infeções nas pessoas. Normalmente estas infeções estão associadas ao sistema respiratório, podendo ser parecidas a uma gripe comum ou evoluir para uma doença mais grave, como pneumonia.

Este coronavírus é igual aos outros vírus?

Por se tratar de um novo vírus, e segundo as últimas informações das autoridades internacionais, ainda não existem dados suficientes para um total conhecimento sobre este vírus. É necessário mais tempo de investigação para se conseguir estudar as suas características, as formas de transmissão, a gravidade das infeções que pode provocar e qual o tratamento mais adequado.

Porque foi dado o nome de COVID-19?

A Organização Mundial da Saúde, decidiu atribuir um nome que fosse fácil de transmitir e que não indicasse nenhuma localização geográfica, um animal ou grupo de pessoas. O nome, COVID-19, resulta das palavras “corona”, “vírus” e “doença” com indicação do ano em que surgiu (2019).

Quando foi detetado o COVID-19?

O COVID-19 foi detetado no final de dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan.

Qual é a origem do COVID-19?

A fonte da infeção é desconhecida e ainda pode estar ativa, segundo as informações publicadas pelas autoridades internacionais.
A maioria dos primeiros casos estavam associados a um mercado de venda de alimentos e animais vivos (peixe, mariscos e aves) em Wuhan. Há suspeitas que o vírus seja de origem animal, mas ainda não existem certezas, uma vez que já foram confirmadas infeções em pessoas que não tinham visitado este mercado. Existe necessidade de continuar as investigações.

Quais são os sinais e sintomas?

Os sintomas são semelhantes a uma gripe, como por exemplo:

  • febre
  • tosse
  • falta de ar (dificuldade respiratória)
  • cansaço

Em casos mais graves pode evoluir para pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e, até mesmo, levar à morte.

Qual é o período de incubação?

O período de incubação (até ao aparecimento de sintomas) situa-se entre 2 a 14 dias, segundo as última informações publicadas.

Como se transmite?

As formas de transmissão ainda estão em investigação pelas autoridades internacionais. A transmissão de pessoa a pessoa foi confirmada e, geralmente, ocorre após o contacto próximo a um doente infetado.

Os animais domésticos podem transmitir o COVID-19?

Não. De acordo com informação da Organização Mundial da Saúde, não há evidência de que os animais domésticos, tais como cães e gatos, tenham sido infetados e que, consequentemente, possam transmitir o COVID-19.

Em que países é que se detetaram pessoas infetadas?

Segundo os últimos dados disponibilizados pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças os países onde foram reportados casos confirmados são:

  • Ásia:
    • China
    • Tailândia
    • Japão
    • Coreia do Sul
    • Singapura
    • Vietname
    • Nepal
    • Malásia
    • Ski Lanka
    • Cambodja
    • Emirados Árabes Unidos
    • Filipinas
    • Índia
  • Europa
    • França
    • Alemanha
    • Finlândia
    • Itália
    • Reino Unido
    • Rússia
    • Espanha
    • Suécia
    • Bélgica
  • América
    • Canadá
    • Estados Unidos da América
  • Oceânia
    • Austrália
  • África
    • Egipto

Qual é o tratamento?

O tratamento para o COVID-19 é dirigido aos sinais e sintomas que os doentes apresentam.

Os antibióticos são eficazes na prevenção e no tratamento do COVID-19?

Não, os antibióticos não são efetivos contra vírus, apenas bactérias. O COVID-19 é uma doença provocada por um vírus e, como tal, os antibióticos não devem ser usados para a sua prevenção ou tratamento. Não terá resultado e poderá contribuir para o aumento das resistências a antibióticos.

Já aconteceu algum surto com coronavírus em anos anteriores?

Sim. Em anos anteriores foram identificados alguns coronavírus que provocaram surtos e infeções respiratórias graves em humanos. Exemplos disto foram:

  • entre 2002 e 2003 a síndrome respiratória aguda grave (infeção provocada pelo coronavírus SARS-CoV)
  • em 2012 a síndrome respiratória do Médio Oriente (infeção provocada pelo coronavírus MERS-CoV)

Existe vacina para o COVID-19?

Não. Sendo um vírus recente, as investigações ainda estão em curso.

Portugal está preparado para responder a um caso confirmado de COVID-19?

Sim. São várias as medidas que estão implementas e/ou a ser desenvolvidas:

Como se preparou o SNS 24 para responder ao surto do COVID-19?

Para responder ao surto deste coronavírus, o SNS 24 preparou-se a diferentes níveis:

  • Serviço de Triagem:
    • os algoritmos de triagem clínica foram atualizados para assegurarem um despiste adequado dos casos suspeitos de infeção por este novo coronavírus
    • sempre que necessário são ativados os mecanismos de resposta de casos suspeitos, através do contacto com a linha de apoio ao médico da Direção-Geral da Saúde, onde se encontram médicos que validam, ou não, o caso suspeito
    • em caso de validação do caso suspeito, são seguidas as orientações emitidas pela Direção-Geral da Saúde, nomeadamente, ao nível do transporte, isolamento e diagnóstico do doente
  • Serviço Informativo:
    • o SNS 24 (808 24 24 24) tem disponíveis conteúdos informativos, validados pela Direção-Geral da Saúde e em coerência com as autoridades internacionais, para esclarecerem a população

 

 

As autoridades internacionais estão diariamente a atualizar a informação, pelo que esta poderá sofrer alterações frequentemente.

 

Fonte: Direção-Geral da Saúde (DGS)

Ver temas relacionados

Feedback Sim

Feedback Não