Difteria

( Atualizado a 14/09/2022 )

2 minutos de leitura

O que é a difteria?

A difteria é uma doença infeciosa causada pela toxina da bactéria Corynebacterium diphtheriae. A infeção pode ocorrer ao nível das vias respiratórias superiores, com aparecimento de lesões localizadas nas amígdalas, laringe, nariz , e também na pele.

Quais são os sintomas da difteria?

Os sintomas mais comuns da doença são:

  • febre ligeira
  • cansaço/mal-estar
  • dor de garganta
  • gânglios inflamados no pescoço

Quando a infeção ocorre ao nível das mucosas do nariz e da garganta, pode ainda surgir:

  • revestimento espesso acinzentado (pseudomenbrana) nas mucosas
  • inchaço dos gânglios linfáticos à volta do pescoço
  • dificuldade em engolir
  • rouquidão ou estridor
  • dificuldade respiratória

Menos frequentemente, além da infeção da pele pode também ocorrer infeção do sistema nervoso, rins e coração (miocardite).

Como se transmite a difteria?

A transmissão ocorre de pessoa para pessoa através do:

  • contacto direto com:
    • gotículas de saliva transmitidas pelo espirro ou tosse
    • feridas/úlceras abertas
  • contacto indireto com objetos contaminados pela bactéria (menos frequente)

Qual é o período de incubação da difteria?

O período de incubação é, em média, de 2 a 5 dias, podendo ser mais longo (1 a 10 dias).

Qual é o período de contágio?

O período de contágio em pessoas com difteria não tratada pode durar até 4 semanas.

Como é feito o diagnóstico da difteria?

O diagnóstico pode incluir a realização de análise às secreções da garganta e às lesões da pele.

É possível prevenir esta doença?

Sim. A vacina contra a difteria é a forma principal de prevenir a doença. O Programa Nacional de Vacinação inclui uma vacina que deve ser administrada aos 2, 4, 6, 18 meses e 5, 10, 25, 45, 65 anos e depois de 10 em 10 anos. As grávidas devem fazer uma vacina em cada gravidez.

Quais são as principais complicações da doença?

As complicações mais graves da difteria incluem:

  • obstrução das vias aéreas (pela formação de membrana na garganta ou aspiração desta membrana)
  • falência cardíaca e renal
  • inflamação dos nervos
  • paralisia dos músculos da deglutição (ato de engolir)
  • pneumonia
  • morte

Qual é o tratamento para a difteria?

Assim que detetada a infeção, o doente deve ser isolado e iniciar tratamento com medicamentos.

O meu filho tem difteria. Deve evitar ir à escola?

Sim. As crianças que apresentem diagnóstico de difteria devem evitar ir à escola até à apresentação de duas análises negativas dos exsudados nasal e faríngeo, feitas com o mínimo de 24 horas de intervalo e após 24 horas de suspensão do tratamento antimicrobiano.

Fonte: Direção-Geral da Saúde (DGS)

Ver temas relacionados