Ir para o conteúdo
Logótipo do Serviço Nacional de Saúde 24
|
Ébola

O que é a doença por vírus Ébola?

Ébola é o nome comum dado à doença rara, mas grave e muitas vezes fatal, causada pela infeção por vírus Ébola.

Quais são os sintomas da Ébola?

Os sintomas mais frequentes são:

  • febre
  • náuseas
  • vómitos
  • diarreia
  • dores:
    • abdominais
    • musculares
    • cabeça
    • garganta
  • fraqueza
  • hemorragia inexplicada

Como se transmite a doença?

A transmissão humana do vírus Ébola pode ocorrer através do contacto direto da pele e das mucosas ocular, nasal, oral e genital com o vírus.

A transmissão pessoa-a-pessoa geralmente verifica-se por contacto com:

  • sangue, vómitos, urinas, fezes, saliva ou sémen de pessoas infetadas, mortas ou vivas
  • superfícies, objetos ou roupas contaminadas com fluidos de doentes ou pessoas que morreram com Ébola
  • contacto sexual não protegido com sémen de homens, que recuperaram da doença

A transmissão de animais para humanos pode ocorrer através de:

  • contacto direto com sangue e outros fluidos corporais de animais portadores da doença
  • ingestão da carne de animais infetados
  • manipulação de animal infetado

Qual é o período de incubação do vírus?

O período de incubação do vírus Ébola pode variar entre2 e 21 dias após a exposição ao vírus.

Quais são os grupos de risco de infeção por Ébola?

O risco de infeção é maior para quem esteja em contacto direto com sangue ou fluidos corporais de pessoas infetadas, nomeadamente:

  • profissionais de saúde que tenham contacto próximo com doentes com Ébola
  • coabitantes com doente infetado

O risco de infeção pelo vírus Ébola não é elevado, mesmo para quem vive ou viaja para zonas afetadas pelo vírus, exceto se houver exposição direta a fluidos corporais de pessoas ou animais infetados, mortos ou vivos ou a superfícies, objetos e roupas contaminadas.

Quais são as complicações da doença?

Geralmente uma fase mais avançada, a doença por infeção do vírus Ébola, pode provocar:

  • aparecimento de manchas na pele
  • alteração do estado de consciência
  • dor torácica
  • insuficiência hepática
  • insuficiência renal
  • hemorragias internas e externas abundantes

Quem está em risco de desenvolver estas complicações?

O risco de complicações da infeção é maior para as pessoas o sistema imunitário enfraquecido (imunocomprometidas), mas também depende da virulência de cada uma das seis espécies do vírus Ébola.

As grávidas podem desenvolver complicações na gravidez?

Sim. As mulheres grávidas infetadas pelo vírus Ébola, têm maior risco de trabalho de parto pré-termo, aborto espontâneo, morte fetal e de complicações hemorrágicas relacionadas com a gravidez.

As crianças que nascem de mulheres doentes por vírus Ébola são infetadas?

Sim. As crianças nascidas de mulheres com a doença por vírus Ébola na sua forma sintomática (com sintomas) são infetadas (transmissão vertical). A infeção de mãe para o feto tem uma elevada taxa de mortalidade.

É possível prevenir a infeção pelo vírus da Ébola?

Sim. É possível prevenir a transmissão da doença, através da adoção de diferentes comportamentos, principalmente se viver ou viajar para um país afetado pelo vírus:

  • evitar contactar com:
    • doentes ou cadáveres infetados com Ébola
    • animais que possam ser portadores do vírus Ébola (como morcegos, chimpanzés, macacos)
  • evitar relações sexuais não protegidas
  • lavar e desinfetar as mãos regularmente
  • lavar e cozinhar bem todos os alimentos

Existe vacina para prevenir a infeção por Ébola?

Sim. Existe vacina para o Ébola que está indicada em casos específicos, geralmente de profissionais que trabalham diretamente com o vírus Ébola.

Como é feito o diagnóstico da doença?

Os sintomas iniciais da doença são comuns a várias outras doenças, pelo que é necessário associar os critérios epidemiológicos (ter estado há menos de 21 dias numa área com atividade do vírus Ébola ou em contacto com pessoas doentes) aos critérios clínicos através da pesquisa de sintomas e realização de exames para despiste da presença do vírus.

Na suspeita da existência de critérios clínicos e epidemiológicos a pessoa deve ser isolada e devem ser informadas as autoridades de saúde pública.

Qual é o tratamento para a doença?

O tratamento consiste primariamente em medidas de suporte, como hidratação, medicação para a diarreia, vómitos e dor.

Existem diferentes classes de medicamentos (antivirais e anticorpos monoclonais) que podem ser considerados como auxiliares (adjuvantes) do tratamento.

Os doentes infetados com o vírus Ébola têm de ser isolados em quartos especiais, de acesso limitado e são necessárias medidas adicionais de segurança para evitar a transmissão, que incluem a utilização de equipamentos de proteção individual para os profissionais de saúde.

Existem países afetados pelo vírus Ébola?

Pode consultar a informação sobre as zonas geográficas afetadas, atualizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

O que devo fazer se achar que estou infetado?

Se regressou há menos de 21 dias de uma área afetada por um surto e tiver um ou vários dos sintomas descritos não se desloque e evite o contacto com outros e ligue imediatamente para o SNS 24 – 808 24 24 24 e descreva os seus sintomas, informando de que país regressou.

Um caso suspeito ou confirmado com doença por vírus Ébola deve estar isolado dos outros doentes?

Sim. Qualquer caso suspeito ou confirmado com doença por vírus Ébola deve estar isolado do contacto com outros doentes e evitar qualquer contacto físico dessa pessoa com outras pessoas.

Se apresentar febre e/ou outros sintomas da infeção por Ébola, contacte o SNS 24 – 808 24 24 24, mencione a viagem recente e transmita as queixas que apresenta.

Caso os sintomas se desenvolvam ainda durante o voo de regresso, no avião, deverá informar a tripulação imediatamente. O mesmo procedimento aplica-se em viagens marítimas.

Fonte: Direção-Geral da Saúde (DGS)

Guardar:
Esta informação foi útil?
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Assuntos relacionados