Meningite bacteriana

( Atualizado a 24/08/2022 )

4 minutos de leitura

O que é a meningite?

A meningite é uma doença causada pela inflamação das meninges (membranas que protegem o cérebro e a medula espinal) e que pode ser causada por diferentes agentes, como  bactérias, fungos ou vírus. Em alguns casos, mais raros, pode resultar de reações medicamentosas ou outras doenças sistémicas.

Existem diferentes tipos de meningite?

Sim. A meningite caracteriza-se conforme o agente que causa a infeção. Importa distinguir as diferentes estirpes:

  • meningites virais: as mais comuns e que tendem a ser menos graves e que são causadas por vírus como os enterovírus
  • meningites bacterianas: as bactérias mais frequentemente envolvidas são a Neisseria meningitidis (meningococo), o Streptococcus pneumoniae (pneumococo) e o Haemophilus influenzae tipo B e que são infeções graves que podem ser fatais
  • meningites fúngicas: mais raras e que podem ocorrer a partir de inalação de fungos no meio ambiente ou em doentes afetados por diabetes, cancro ou infeção pelo vírus VIH/SIDA
  • meningites causadas por parasitas, mais comuns nos países menos desenvolvidos
  • meningites assépticas: como as causadas por drogas/medicação, doenças autoimunes, doenças neoplásicas, traumatismo etc.

Como se caracteriza a meningite bacteriana?

A meningite bacteriana é uma doença infeciosa aguda transmissível, caracterizada pela inflamação das meninges (membranas que protegem o cérebro e a medula espinal) e pode ser causada por diferentes bactérias, como a Neisseria meningitidis, o Streptococcus pneumoniae, o Haemophilus influenzae, Listeria monocytogenes.

Quais são os sintomas da meningite bacteriana?

Os sintomas gerais da meningite são:

  • febre
  • dor de cabeça intensa
  • náuseas e vómitos
  • irritabilidade
  • confusão mental
  • estado de cansaço extremo
  • agitação psicomotora
  • rigidez da nuca
  • convulsões
  • erupções da pele (petéquias)

Nos bebés pode provocar os seguintes sintomas:

  • irritabilidade
  • moleira (abóbada do crânio) elevada
  • dificuldade de interação devido à irritabilidade
  • vómitos
  • dificuldade em alimentar
  • letargia/apatia
  • choro agudo ou gemido
  • Intolerância ao ruído

Como se transmite a meningite bacteriana?

A meningite bacteriana transmite-se através do contacto direto com gotículas e secreções nasais favorecidas pela tosse, espirros, beijos e pela proximidade física a outros doentes com a infeção.

Qual é o período de contágio?

O período de contágio persiste até que a bactéria desapareça da rinofaringe. Em geral, o contágio deixa de existir 24 horas após o início da terapêutica eficaz.

Qual é o período de incubação?

O período de incubação ocorre entre 1 e 10 dias, mas em geral não ultrapassa os 4 dias.

Como é feito o diagnóstico da meningite bacteriana?

O diagnóstico de meningite bacteriana é feito através do:

  • exame clínico com sinais sugestivos de meningite
  • análises ao sangue
  • análises ao líquido cefalorraquidiano, que implica uma punção lombar

Quais são os grupos de risco da meningite bacteriana?

A meningite bacteriana pode representar um risco maior para determinados grupos, nomeadamente:

  • bebés, por não terem ainda a imunização (vacinas) completas
  • pessoas imunodeprimidas
  • profissionais de saúde envolvidos neste tratamento
  • viajantes ou habitantes em locais de surto

A meningite bacteriana é grave?

A meningite bacteriana pode apresentar diferentes prognósticos:

  • recuperação sem sequelas
  • uma percentagem de doentes não recupera totalmente e apresenta sequelas, como, a perda auditiva convulsões ou alterações mentais
  • nos casos mais graves em que a doença evolui rapidamente, pode provocar a morte em poucas horas

Quais são as complicações da meningite bacteriana?

Uma apresentação mais grave da doença pode levar ao desenvolvimento de algumas complicações, tais como:

  • convulsões
  • infeção generalizada
  • danos cerebrais
  • perda parcial ou total da audição

É possível prevenir a meningite bacteriana?

As principais formas de prevenção da meningite bacteriana são:

  • vacinação limitar o contacto com doentes com a mesma doença
  • manter uma alimentação e estilo de vida saudáveis
  • higiene das mãos – lavagem regular e cuidada das mãos com água e sabão, preferencialmente sem acessórios (anéis, pulseiras, relógios, etc.)
  • etiqueta respiratória – tapar a boca com um lenço de papel descartável quando tossir ou espirrar ou com o braço e lavar as mãos e o braço assim que possível

Qual é o tratamento para a meningite bacteriana?

O tratamento precoce da meningite é fundamental para a eficácia do mesmo e aumenta as probabilidades de uma recuperação sem sequelas. Habitualmente é tratada com terapêutica medicamentosa, com a toma de antibióticos.

Em caso de suspeita da doença, deve procurar o seu médico assistente, o mais rápido possível, para que lhe seja feito o diagnóstico e iniciar o tratamento.

O meu filho tem um colega na escola/infantário com suspeita de meningite. O que faço?

Caso se venha a confirmar o diagnóstico de meningite bacteriana será efetuado contacto pelo delegado de saúde. No entanto, a maior parte das meningites são de origem viral e não bacteriana e por isso, não necessitam de tratamento ou atitudes específicas dos contactos.

 

Fonte: Direção-Geral da Saúde (DGS)

Ver temas relacionados