Ir para o conteúdo
alertAVISO|Vacina COVID-19|

As pessoas com mais de 60 anos já podem fazer o reforço sazonal de outono da vacina COVID-19, na modalidade de Casa Aberta.

|Ver mais

Doenças infecciosas

Zika

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no Linkedin
( Atualizado a 02/12/2022 )
3 minutos de leitura

O que é?

A doença do vírus Zika é causada por um vírus do género flavivirus, transmitido principalmente pela picada do mosquito Aedes.

Quais são os sintomas?

A doença caracteriza-se por:

  • febre ligeira
  • erupções cutâneas
  • conjuntivite
  • dores nas articulações
  • mal-estar
  • dor de cabeça

Estes sintomas normalmente duram entre 2 a 7 dias.

Como se transmite?

A principal forma de transmissão é através da picada do mosquito infetado do género Aedes, principalmente o Aedes aegypti, em regiões tropicais. Os mosquitos Aedes picam normalmente durante o dia, sobretudo ao princípio da manhã e ao fim da tarde/princípio da noite.

Como se faz o diagnóstico?

Pode suspeitar-se de infeção pelo vírus Zika com base em sintomas e história recente de viagens (residência ou viagem para uma zona com transmissão ativa do vírus Zika). O diagnóstico da infeção pelo vírus Zika pode ser confirmado por análises laboratoriais ao sangue ou outros fluidos corporais, como a urina, saliva ou sémen.

Qual é o período de incubação?

O período de incubação é definido como o tempo decorrido deste a exposição até aos sintomas. No caso da doença do vírus Zika este período não é claro, sendo provavelmente de alguns dias.

Qual é o tratamento?

A gravidade da doença do vírus Zika é normalmente ligeira, não exigindo um tratamento específico. As pessoas infetadas devem repousar bastante, beber muitos líquidos, aliviar as dores e tratar a febre com medicamentos comuns. Se os sintomas se agravarem deve procurar aconselhamento e cuidados médicos. Atualmente não existe nenhuma vacina disponível.

Pretendo viajar para um país afetado com o surto de Zika. O que devo fazer?

A Consulta do Viajante é aconselhável para todas as pessoas que viajam, fornecendo um melhor aconselhamento. Para além disso, as agências de viagens habitualmente informam sobre a necessidade de apresentação do Certificado Internacional de Vacinação ou outros documentos essenciais à entrada no país de destino.

Estou grávida e pretendo viajar para um país que tem Zika. O que devo fazer?

As instituições internacionais recomendam que as mulheres grávidas adiem as viagens que não são essenciais com destino a países afetados com surtos de Zika.

Se o parceiro viajar para uma área afetada recomenda-se a utilização de preservativo ou abstinência sexual até ao final da gravidez. Tais recomendações têm por base a possível transmissão da infeção numa mulher grávida para o feto.

Viajei para zonas com Zika e estou a tentar engravidar. Devo fazer alguma consulta ou análise para despistagem? Se sim, qual é o limite de tempo mais indicado?

De acordo com as recomendações internacionais e da Direção-Geral da Saúde (DGS), os casais que pretendam engravidar devem aguardar 6 meses após o regresso de áreas consideradas de risco para o vírus Zika, visto que pode permanecer no sémen durante esse período de tempo.

 

Fonte: Direção-Geral da Saúde (DGS)

Guardar:
Esta informação foi útil?

Assuntos Relacionados

Saiba mais Consulta do Viajante
Saiba mais
Consulta do Viajante
Saiba mais Malária
Saiba mais
Malária
Saiba mais Dengue
Saiba mais
Dengue
Saiba mais Febre amarela
Saiba mais
Febre amarela