Síndrome de apneia obstrutiva do sono

( Atualizado a 12/05/2022 )

3 minutos de leitura

O que é a síndrome de apneia obstrutiva do sono?

A síndrome de apneia obstrutiva do sono é um distúrbio respiratório do sono caracterizado pelo breve, mas frequente bloqueio das vias respiratórias, que provoca interrupções da respiração totais (apneias) ou parciais (hipopneias) durante o sono. Ou seja, ocorre um relaxamento excessivo dos músculos da via aérea superior resultando no bloqueio da normal respiração.

Quais são as causas desta síndrome?

A síndrome de apneia obstrutiva do sono está muitas vezes associada às seguintes causas:

  • excesso de peso
  • genéticas (caraterísticas físicas como a configuração da face e do pescoço ou tendência para o excesso de peso que favorecem o bloqueio da via respiratória durante o sono)
  • idade (a prevalência desta síndrome aumenta com o normal envelhecimento)
  • aumento excessivo do perímetro do pescoço
  • algumas doenças hereditárias e congénitas (que possam provocar alterações anatómicas das vias aéreas superiores que levam a um bloqueio respiratório durante o sono como por exemplo Síndroma de Down)
  • consumo crónico de tabaco, álcool e alguns medicamentos, nomeadamente com efeito de relaxante muscular
  • nas crianças, aumento do volume das amígdalas e adenoides

Quais são os sintomas desta síndrome?

Os sintomas da síndrome de apneia obstrutiva do sono podem ser noturnos ou diurnos e mais frequentemente são:

  • ressonar
  • despertares súbitos com engasgos ou sensação de sufocação
  • despertares recorrentes
  • necessidade de urinar durante a noite
  • sono agitado
  • cefaleias matinais
  • sensação de sono não reparador
  • sonolência diurna excessiva
  • irritabilidade
  • falta de atenção, memória ou dificuldade de concentração

Quais são as principais complicações desta síndrome?

Uma das complicações principais da síndrome da apneia obstrutiva do sono é o aumento do risco de ocorrência de acidentes laborais e de viação, como consequência da sonolência diurna excessiva.

Para além disso, esta síndrome está associada ao aparecimento ou desenvolvimento de problemas cardiovasculares como:

  • hipertensão arterial
  • diabetes mellitus
  • acidente vascular cerebral (AVC)
  • arritmias
  • insuficiência cardíaca

Quais são os principais grupos de risco que podem desenvolver esta síndrome?

A síndrome de apneia obstrutiva do sono pode ocorrer em qualquer idade sendo mais comum em:

  • adultos com obesidade
  • crianças com hipertrofia das amígdalas e adenoides

Como é feito o diagnóstico da síndrome de apneia obstrutiva do sono?

Habitualmente, a síndrome de apneia obstrutiva do sono é diagnosticada através de:

  • avaliação clínica em consulta
  • realização de uma polissonografia, exame que analisa o sono, nomeadamente a atividade elétrica cerebral, muscular, cardíaca, a respiração incluindo a oxigenação do sangue, a posição corporal e o ressonar

É possível prevenir esta síndrome?

Para prevenir a síndrome de apneia obstrutiva do sono e ter um sono de qualidade é recomendado que sejam feitas alterações ao estilo de vida com os seguintes hábitos:

  • manter uma dieta saudável e equilibrada
  • praticar exercício físico regular
  • evitar o consumo de bebidas alcoólicas
  • evitar o consumo de bebidas estimulantes
  • não fumar
  • adotar medidas de higiene do sono como:
    • definir horários regulares para acordar e adormecer
    • dormir horas suficientes adequadas às suas próprias necessidades
    • dormir na posição lateral
  • não usar medicamentos para dormir, nomeadamente com efeito de relaxante muscular

Qual o tratamento da síndrome de apneia do sono?

As principais formas de tratamento desta síndrome incluem:

  • adoção de boa higiene do sono
    • definir horários regulares para acordar e adormecer
    • dormir horas suficientes adequadas às suas próprias necessidades
    • dormir numa posição correta: muitas vezes a síndrome de apneia obstrutiva do sono surge ou agrava quando está deitado de costas e nessas situações recomenda-se dormir na posição lateral
  • não usar medicamentos para dormir com efeito de relaxante muscular
  • perda de peso, em caso de obesidade ou excesso de peso
  • ventiloterapia durante o sono: descrita como “ventilação ” através de máscara nasal ou facial que se usa enquanto dorme
  • cirurgia em caso de indicação de remoção de tecidos (como por exemplo nas crianças a remoção das amígdalas) responsáveis pela obstrução da passagem do ar
  • dispositivo de avanço mandibular que funciona avançando o maxilar inferior e aumentando por isso o espaço da via respiratória

Fonte: Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental (SPPSM)

Ver temas relacionados