Tosse Convulsa

2 minutos de leitura

O que é?

A tosse convulsa, também denominada como tosse coqueluche ou pertússis, é uma doença transmissível infeciosa aguda, causada pela bactéria Bordetella pertussis, que compromete o aparelho respiratório superior (traqueia e brônquios). Caracteriza-se por episódios de tosse com guincho inspiratório característico.

Quais são os sintomas?

A tosse convulsa caracteriza-se por três fases, em que se manifestam diferentes sintomas:

  • Fase catarral (1-2 semanas): sintomas do trato respiratório alto: inflamação e corrimento nasal, tosse não produtiva, febre baixa.
  • Fase paroxística (2-6 semanas): a tosse agrava-se com momentos de intensidade máxima, que podem acompanhar-se de cianose (coloração azulada da pele e das mucosas) e inchaço da língua. Tipicamente terminam com um guincho inspiratório e vómito. São mais frequentes no período noturno, e agravam-se com o choro e deglutição. O exame físico é geralmente normal.
  • Fase de convalescença (2-6 semanas): diminuição progressiva da intensidade e frequência dos momentos de intensidade máxima, desaparecendo o guincho e os vómitos. Pode prolongar-se durante meses com episódios recorrentes de tosse, desencadeados por infeções respiratórias virais.

Podem ocorrer formas atípicas de doença em:

  • Recém-nascidos e lactentes: fase catarral muito curta ou mesmo ausente, inexistência de guincho inspiratório, apneia e dificuldade respiratória.
  • Crianças vacinadas, adolescentes e jovens adultos: sintomatologia menos pronunciada, podendo manifestar-se como tosse persistente.

Como se transmite?

A tosse convulsa transmite-se de pessoa para pessoa através de gotículas de saliva expelidas pelo espirro ou tosse. Também pode ser transmitida pelo contacto com objetos contaminados com secreções do doente. O período de contágio é mais intenso na primeira semana.

Como se previne?

A vacinação constitui a medida preventiva mais importante. No Programa Nacional de Vacinação (PNV) está contemplada a administração de 5 doses da vacina pertussis acelular, segundo o esquema: 2, 4, 6, 15-18 meses e 5-6 anos.

Como fazer o rastreio e diagnóstico?

Na maioria dos casos, o diagnóstico é feito pela clínica, podendo ser realizados exames laboratoriais para pesquisa da bactéria.

Existe tratamento?

Tratamento antibiótico é recomendado sempre que se suspeite de tosse convulsa, após colheita de secreções para pesquisa da bactéria. Este tratamento é eficaz para prevenir a doença na fase de incubação, na fase catarral diminui ou elimina os sintomas e na fase paroxística não altera o estado clínico.

Qual o período de incubação?

O período de incubação da tosse convulsa é de 7 a 10 dias, podendo variar de 5 a 21 dias.

 

Fonte: DGS (adaptado)

Ver temas relacionados

Feedback Sim

Feedback Não