Diarreia

4 minutos de leitura

O que é a diarreia?

A diarreia é uma alteração no volume e consistência das fezes. Está associada a um aumento do número de dejeções diárias.

Existe mais do que um tipo de diarreia?

A diarreia pode ser classificada de diferentes formas. Pode ser classificada de acordo com o seu mecanismo (como por exemplo, a diarreia de causa inflamatória, que acompanha a inflamação da mucosa intestinal) e pode ser categorizada em aguda ou crónica, de acordo com o tempo de evolução.

O que diferencia uma diarreia aguda de uma crónica?

A diarreia aguda tem uma duração inferior a duas semanas e é uma situação muito frequente e mais facilmente tratada. A diarreia crónica ocorre durante um período superior a quatro semanas e poderá ter diversas causas.

Como se diagnosticam os casos de diarreia?

O diagnóstico da diarreia baseia-se na história clínica do doente e na frequência da realização dos exames complementares de diagnóstico, como:

  • análises ao sangue e às fezes
  • exames de imagem
  • exames endoscópicos, como a colonoscopia

A avaliação médica e a seleção dos exames complementares de diagnóstico a realizar deverá ser sempre individualizada, tendo em conta:

  • a duração/persistência da diarreia
  • a presença de dor abdominal, febre, perda de peso ou outros sinais de alarme
  • o contexto clínico do doente, como a idade ou outras doenças associadas

Quais as causas da diarreia aguda?

As causas de diarreia aguda são variáveis, sendo fundamental encontrar outros dados, como a história de viagens recentes, ingestão de alimentos potencialmente contaminados e contacto com indivíduos com sintomas semelhantes. Causas frequentes de diarreia aguda são:

  • intoxicação alimentar – por ingestão de alimentos ou água contaminados
  • gastroenterite aguda – geralmente causada por vírus, bactérias ou protozoários
  • diarreia associada a antibióticos (durante ou após o tratamento com antibióticos)
  • excesso de ingestão de álcool
  • abuso no consumo de alguns alimentos (como consumo excessivo de fibras na dieta) e suplementos / medicamentos com efeito laxante (como substitutos do açúcar e vários medicamentos utilizados em regimes de controlo do peso)

Quais as causas da diarreia crónica?

A diarreia crónica poderá ser causada por diversas situações:

  • síndrome do intestino irritável, muitas vezes designado por “colite espástica” ou “colite nervosa”
  • intolerância à lactose
  • doença celíaca
  • doenças inflamatórias intestinais, como a doença de Crohn ou a colite ulcerosa
  • cancro colorretal
  • pancreatite crónica
  • alterações hormonais – diabetes ou aumento no funcionamento da glândula tiroideia
  • algumas operações gástricas e à vesícula
  • efeitos adversos a medicamentos
  • consumo em excesso de alimentos e bebidas com adoçantes artificiais

Em que situações devo procurar um médico?

Na maioria dos casos a diarreia não causa problemas graves, sendo resolvida em alguns dias. No entanto, deverá ligar para o SNS 24 – 808 24 24 24 – caso apresente:

  • diarreia prolongada (com duração superior a duas semanas)
  • dor intensa no abdómen
  • febre superior a 39ºC
  • sangue nas fezes
  • sinais de desidratação (sede, boca seca, pouca ou nenhuma urina, fraqueza, dores de cabeça ou urina escura)
  • emagrecimento

A diarreia pode ser contagiosa?

Sim. A diarreia pode ser contagiosa quando é de origem infeciosa.

Se viajar para o estrangeiro corro riscos de sofrer diarreia?

Sim. As pessoas que se deslocam para o estrangeiro podem ter episódios de diarreia, denominando-se como diarreia do viajante. Esta é geralmente causada pela ingestão de alimentos ou água contaminados com bactérias, vírus ou parasitas.

Qual o tratamento da diarreia?

O tratamento vai depender das suas causas, porém durante a diarreia é importante:

  • evitar a desidratação – ter atenção à hidratação nos meses mais quentes do ano, na população idosa e nos doentes crónicos
    • se necessário, pode recorrer a soluções com eletrólitos para corrigir défices iónicos eventuais. Esta avaliação e prescrição deve ser sempre orientada por um médico
  • comer bananas, de forma a compensar as perdas de potássio
  • evitar alguns alimentos como o leite, gorduras e fibras em excesso
  • redobrar os cuidados de higiene, como lavar as mãos, em casos de diarreia infeciosa de forma a evitar transmitir a outras pessoas
  • o médico pode receitar um antibiótico em casos de infeção grave

É possível prevenir o aparecimento da diarreia?

Sim. As principais medidas preventivas passam por:

  • cuidados de higiene, como a lavagem frequente das mãos, em particular antes das refeições e após o contacto com crianças ou adultos com sintomas de gastroenterite
  • lavagem e confeção adequada dos alimentos

Antes de viajar para um país tropical ou subdesenvolvido (por exemplo, Guiné-Bissau, Moçambique, Haiti, etc.) é importante realizar uma consulta do viajante, para conhecer as medidas preventivas de doenças infectocontagiosas.

O que devo comer e beber quanto tenho diarreia?

A dieta recomendada depende do diagnóstico e da situação clínica do doente. No geral, devem ser evitados:

  • alimentos ricos em fibra (como os vegetais, sementes, frutos secos, leguminosas e cereais processados)
  • gorduras
  • leite e derivados (iogurtes, queijos, etc.)
  • alimentos ricos em açucares simples (como produtos de pastelaria) e bebidas açucaradas.

A diarreia na criança pode ser perigosa?

Sim. A diarreia aguda pode ter consequências graves no recém-nascido e criança, podendo ocorrer desidratação grave após 1 ou 2 dias de diarreia pelo que, nestes casos, se deve ter especial atenção às medidas de reidratação. A criança deve ser observada urgentemente pelo médico, caso se verifique:

  • sangue ou pus misturado nas fezes
  • dor abdominal intensa
  • febre elevada ou sinais de desidratação como boca e língua secas
  • ausência de lágrimas ao chorar
  • olhos encovados ou fontanela deprimida
  • irritabilidade

Fonte: Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia

Ver temas relacionados

Feedback Sim

Feedback Não