Ir para o conteúdo
Logótipo do Serviço Nacional de Saúde 24
|
Febre tifoide

O que é a febre tifoide?

A febre tifoide é uma doença infeciosa causada pela bactéria Salmonella typhi. Tipicamente, esta infeção ocorre pela ingestão de água ou alimentos contaminados.

Quais são os sintomas da doença?

Inicialmente e de forma gradual, surgem:

  • febre
  • fraqueza
  • dor de cabeça
  • dor musculares e nas articulações
  • tosse
  • diarreia ou obstipação
  • falta de apetite
  • dor abdominal

Podem também surgir manchas rosadas no tronco.

Como se transmite a febre tifoide?

A febre tifoide transmite-se pela ingestão de água ou alimentos contaminados com fezes humanas ou com urina que contêm a Salmonella Typhi.

Esta doença pode ser transmitida pelo contacto direto (mão-boca) com fezes, urina por partilha de objetos contaminados, ou por ingestão de água ou alimentos que foram lavados ou preparados com água contaminada.

Qual é o período de incubação?

O período de incubação é, em geral, de 5 a 21 dias.

Como é feito o diagnóstico da doença?

O diagnóstico da febre tifoide é feito através de:

  • história clínica completa do utente, com pesquisa de sintomas
  • história de viagem a local endémico
  • realização de exames complementares como análises às fezes, à urina ou ao sangue

Quais são os fatores de risco da transmissão da febre tifoide?

Os principais fatores de risco que potenciam a transmissão da febre tifoide são:

  • visita de lugares/países com fracas condições sanitárias
  • a preparação e o consumo de alimentos de forma inadequada (malcozinhados ou mal lavados)
  • hábitos de higiene inadequados

Como se pode prevenir?

O saneamento básico, o preparo adequado dos alimentos e a higiene pessoal são as principais medidas de prevenção. Para além disso:

  • beba água potável ou engarrafada
  • consuma alimentos frescos com boa aparência
  • cozinhe bem os alimentos, nomeadamente, carne e ovos
  • lave e desinfete bem os alimentos antes de os consumir
  • lave as mãos regularmente:
    • antes, durante e após a preparação dos alimentos
    • ao manusear objetos sujos
    • depois de tocar em animais
    • depois de ir à casa de banho
    • após a troca de fraldas
    • antes da amamentação
  • vacine-se, caso vá viajar para uma zona endémica onde exista febre tifoide

Existe uma vacina disponível contra a febre tifoide?

Sim. A vacina contra a febre tifoide está disponível em Portugal e pode ser administrada em pessoas com mais de 2 anos de idade, com uma dose que confere imunidade até 3 anos.

Para quem é recomendada a vacina?

A Sociedade Portuguesa da Medicina dos Viajantes recomenda a vacina a todos os que viajam para locais cujo perfil de estadia possa conferir um risco de contrair a doença. Para além disso, recomenda ainda a vacinação aos viajantes com idade superior a 2 anos, que se desloquem para áreas endémicas e cuja estadia se prolongue por mais de 1 mês.

Quais são as áreas geográficas endémicas da febre tifoide?

As áreas consideradas endémicas da febre tifoide incluem:

  • África
  • Zona Oriental e Sul da Ásia (especialmente Paquistão, Índia e Bangladesh)
  • América Central e do Sul
  • Caraíbas
  • Médio Oriente

Se vai viajar consulte aqui as condições de cada país.

Qual é o tratamento para a febre tifoide?

Perante um caso de febre tifoide, o tratamento deve ser iniciado o mais cedo possível, pois uma das complicações da evolução da doença sem tratamento é a morte.

Assim, o tratamento para esta doença inclui a toma de medicamentos. Durante o tratamento deve manter uma lavagem adequada das mãos e deve evitar preparar ou servir comida a outras pessoas.

As crianças com febre tifoide não podem frequentar a escola, dado que é uma doença de evicção escolar obrigatória (não deve frequentar a escola).

Quais são as complicações da febre tifoide?

Com a ausência de tratamento, a temperatura vai subindo, permanecendo elevada (39,4 a 40º C). Na segunda semana de doença podem surgir lesões cor-de-rosa discretas (manchas róseas) no tórax e no abdómen e dor abdominal.

Na terceira semana pode haver aumento do fígado e do baço, hemorragia e perfuração do intestino, infeção generalizada, podendo levar à morte ou à resolução dos sintomas ao fim de alguns meses.

Fonte: Direção-Geral da Saúde (DGS)

Guardar:
Esta informação foi útil?
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Assuntos relacionados